COMO A NUTRIÇÃO PODE AJUDAR NA SÍNDROME DOS
OVÁRIOS POLICÍSTICOS 

Este assunto é um dos mais pedidos quanto faço enquete no Instagram, sobre qual assunto abordar. Demorei muito para escrever sobre ele, pois é realmente muito (muito mesmo) abrangente e profundo. Acredito que uma Ginecologista – vou ver se consigo um texto da minha Gineco maravilhosa Michelle Nagai – falaria melhor sobre isso, mas vou tentar ajudar no que for possível!

Síndrome dos Ovários Policísticos se caracteriza por alguns sinais e sintomas clássicos. Não é Cisto no Ovário e muito menos se diagnostica só por exames de imagem. A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) tem como principal – mas não determinante – característica o aumento dos Hormônios Andrógenos (ou seja. Hormônios Masculinos: Androstenediona, DHT, Testosterona Total, Testosterona Livre e(ou) DHEA). Isso pode ser devido à uma Insulina cronicamente elevada, que estimula os Ovários a produzirem estes hormônios e, consequentemente, a mulher pode ter um maior acúmulo de gordura corporal, principalmente em regiões mais masculinas como abdômen & costas. Outro ponto forte, derivado desta alteração hormonal, é a presença de pêlos, principalmente na lateral do rosto e queixo. Acne, pele e cabelos oleosos, assim como queda de cabelo, irregularidade menstrual, ganho de peso e dificuldade para engravidar. Ainda não é sabido qual a real causa da SOP. O que sabemos é que existem 5 tipos de SOP e que a Resistência Insulínica (RI) é uma delas. Tanto a causa quanto a consequência. Sabemos também, que a SOP tem uma caraterística de inversão do LH e FSH, e uma deficiência de Progesterona. Isso pode acontecer após anos de uso de Anticoncepcionais (Publicação de NESTLER, John, 2016 – CONTROVERSIES IN ENDOCRINOLOGY) ou, ser natural desta mulher.

Como podemos ajudar, nutricionalmente, uma mulher com SOP? Basicamente melhorando o processo de Destoxificação & Inflamação, além de controlar o impacto glicêmico da dieta desta paciente. Ou seja:

  • Retirar Laticínios de Vaca – Ricos em Leucina (aumenta Insulina) e, potencialmente inflamatório (Caseína), principalmente quando falamos em Leite de baixa qualidade.
  • Retirar Glúten – Principalmente os alimentos processados. Aveia não se enquadra e, pães de Fermentação Natural, Levain & Caseiros, costumam ser bem tolerados. Moderação.
  • Retirar Corantes, Adoçantes & Conservantes artificiais
  • Cuidar do consumo e exposição excessiva à Metais Pesados: Mercúrio, Alumínio, Chumbo…
  • Cuidar do consumo excessivo de Carboidratos – principalmente os refinados como Farinhas, Pães, Massa, Bolos, Biscoitos, Açúcar… o ideal seria uma dieta com caráter Low Carb.
  • Cuidar dos Disruptores Endócrinos como BPA, Agrotóxicos, ACO…
  • Utilizar estratégias antiinflamatórias como Chás (Moringa, Dente de Leão, Tulsi, Gengibre, Canela…), Própolis, Frutas Vermelhas, Açaí Natural, Cacau & Chocolate Amargo, Temperos…
  • Preferir COMIDA DE VERDADE, consumir Boas Gorduras e não temer a Gordura Natural do alimento, a fim de favorecer um ambiente propício para o corpo produzir hormônios corretamente.

Na parte de suplementação, eu trataria principalmente o Intestino & Fígado. Utilizaria alimentos que ajudassem estes órgão também, como Abacate & Alimentos Fermentados (Probióticos). A clínica da paciente é quem vai determinar o sucesso do tratamento. Voltar a menstruar, melhorar a pele, oleosidade, acne, pêlos… é o sinal que procuramos! A união de profissionais com uma visão holística é essencial, profissionais como Ginecologista e Dermatologista andam de mãos dadas neste tratamento que pode, sim, ser muito bem sucedido!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.