O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE COMPULSÃO ALIMENTAR

Primeiramente você precisa entender que Compulsão Alimentar é uma condição de saúde que deve sim, ser tratada. Não deve ser subestimada e muito menos ignorada. Infelizmente, a Nutrição sozinha talvez não consiga resolver o problema, isso porque por mais que envolva comida, a Compulsão Alimentar é um problema muito mais comportamental do que nutricional. Dado isso, vamos tentar esclarecer o que é a Compulsão Alimentar e como a Nutrição pode ajudar ou, inclusive, atrapalhar!

Restrição Alimentar
A Compulsão Alimentar na maioria das vezes aparece após períodos de restrição. Seja restrições calóricas ou restrições de grupos alimentares. Essas restrições podem ser devido dietas mal feitas, por tempo longo demais ou restrições sem fundamento, promessas… A restrição por Grupo Alimentar pode ser, por exemplo, as Proteínas, não necessariamente os Carboidratos, como muitos pensam. Sempre que essa restrição for acompanhada de fome ou grandes sacrifícios para se sustentar, a chance de uma crise de Compulsão Alimentar é enorme! Não se iluda, achando que fazer uma dieta de 500Kcal vai ser bacana. Não, não vai. A longo prazo é insustentável e, a curto prazo, não vai adiantar nada. Não se perde gordura corporal no primeiro momento e sim glicogênio muscular. Quando iniciar a queima de gordura corporal, você não está mais aguentando de fome e comerá ainda mais do que o habitual, derrubando tudo o que achou que conquistaria…

Gorduras & Carboidratos
Aqui é a parte que mais gosto de abordar entre meus pacientes em consultório. Obviamente existe a individualidade metabólica, e isso significa que não existe um único tipo de dieta para todas as pessoas. Portanto, Low Carb (High Fat) não é religião e muito menos milagre porém, quando se conta caloria (apenas), é muito comum a restrição de Gorduras na dieta. A restrição deste grupo alimentar torna a dieta menos calórica sim (1g de Gordura = 9Kcal enquanto 1g de Carboidrato = 4Kcal), mas torna-a também uma dieta com baixa saciedade. Isso se dá pelo aumento da Insulina, hormônio responsável por retirar o excesso de açúcar (glicose) do sangue, ativando assim, o Glucagon, hormônio que sinaliza para nosso cérebro de que precisamos comer! Contabilizar caloria é sim, muito importante, mas entender a fisiologia do emagrecimento é, na minha humilde opinião, muito mais. Não estou dizendo que deve-se retirar os Carboidratos, estou apenas dizendo que, diminuir as calorias da dieta às custas de retirar as Gorduras naturais do alimento, provavelmente, não vai dar certo.

Gatilhos
Identificar os seus gatilhos é ponto de extrema importância para o sucesso do tratamento nos quadros de Compulsão Alimentar. Para alguns é Chocolate. Para outros, Banana com Pasta de Amendoim. Para alguns, é a solidão. Para outros, é eventos sociais. Para alguns, é quando o marido viaja, para outros, é quando os filhos chegam em casa. Identifique momentos, horários, dias e até eventos que te tiram do controle e, sim, no início, evite se possível. Nenhum alcoólatra anda com uma dose de bebida por perto, para provar que consegue vencer aquilo. Ninguém que quer parar de fumar, fuma apenas um cigarrinho por dia, para ir “retirando aos poucos”… quando estamos falando de vícios ou comportamentos que te fazem mal, corte-os pela raiz. Busque ajuda se necessário – e quase sempre será necessário.

Fitoterápicos & Suplementação
Como nutricionista, posso ajudar o paciente através da Estratégia Nutricional que falarei abaixo e também, através de Fitoterápicos. O uso das Plantas & Ervas Medicinais pode ajudar o paciente de diversas maneiras. Podemos atuar na ansiedade, na fome fora de hora, no paladar por doces… Podemos também usar alguns minerais que atuam neste mecanismo e, por incrível que pareça, podemos reestabelecer a Flora Intestinal com a mesma finalidade, uma vez que Bactérias Gram Negativas se alimentam de açúcar, elas pedem farinha, doces, refrigerante… Mesmo!

Estratégia Nutricional
E, por fim mas (obviamente) não menos importante, uma boa Estratégia Nutricional pode ajudar muito um paciente em tratamento de Compulsão Alimentar. Primeiramente eu tento identificar como ele se beneficiaria mais: comendo a cada 3 horas, ou deixando-o livre para comer apenas quando sentir fome. Muitas vezes, deixar o paciente livre, é uma péssima estratégia. Infelizmente, por mais fisiológico que seja, o paciente compulsivo não confia nele mesmo então algumas vezes, traço dietas com horários determinados. Caso o paciente se mostre desapegado ao relógio, mando bala na segunda opção. Outro ponto que me atento, é uma dieta que gere mais saciedade, naturalmente com mais Gorduras e, muitas vezes coloco o Carboidrato a noite, antes de dormir. Isso ajuda tanto na ansiedade, quanto na vontade de doce e também, no sono – por modular a Melatonina.

Outro ponto que acho importante salientar, é a diferença entre comer de forma impulsiva versus a Compulsão Alimentar. Quem diagnostica isso é o Psicólogo ou Psiquiatra, por isso a ajuda deles e o trabalho multidisciplinar é tão bacana! Para quem não conhece, também compartilho uma descoberta um tanto quanto nova para mim também, que é o trabalho de Health Coach. O importante é se cuidar, identificar que existe um problema e enfrenta-lo. Cuide do seu corpo, seu templo!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.